Siga-nos

Olá, o que você está buscando?

Mamãe TEAjuda

Especialistas

O desenvolvimento da aprendizagem em crianças autistas na primeira infância

A importância da aprendizagem com estímulos

Muitos são os estímulos recebidos pela criança na primeira infância.

Fatores intrínsecos e as experiências (fatores extrínsecos) ditam os rumos de melhor ou pior aproveitamento na aprendizagem. Tanto os estímulos quanto sua falta irão impactar na estrutura do cérebro a longo prazo.

“O cérebro tem uma propriedade chamada neuroplasticidade, que é a capacidade de modificar de forma considerável a sua estrutura e seus padrões de atividade, não só na infância, mas também durante a vida adulta. Essa mudança pode resultar das experiências e também da atividade mental puramente interna, ou seja, de nossos pensamentos.” (DAVIDSON, 2013, p.181)

O autista aprende por meio da estimulação: cognitiva, sensorial e, somados a questão afetiva/emocional, a aprendizagem acontecerá no ritmo específico de cada criança. Tanto os estímulos dados pela família, quanto os investidos no ambiente escolar, proporcionam a criança um desenvolvimento mental que a fazem aprender de forma significativa e construtiva.

Continua após o anúncio.

“O desenvolvimento mental é uma construção contínua, comparável à edificação de um grande prédio que, à medida que se acrescenta algo ficará mais sólido, ou a montagem de um mecanismo delicado, cujas fases gradativas de ajustamento conduziriam a uma flexibilidade e uma mobilidade das peças tanto maiores quanto mais estáveis tornasse o equilíbrio”. (PIAGET, 1969, p.12.)

Piaget ainda afirma que construímos nosso conhecimento conforme o cérebro se desenvolve, cria-se assim um contínuo aprender visto que por meio da plasticidade cerebral o indivíduo pode assimilar novos aprendizados.

Neste aspecto, notamos que aprendemos por meio de interações relacionais que acontecem desde a infância até a vida adulta. A Neurociência explica isso como neuroplasticidade.

Deixo aqui uma reflexão para cada família de crianças atípicas: estimule, brinque com seu filho, mas não se desespere. Cada um tem seu ritmo de desenvolvimento e uma maturidade diferente, que devem ser respeitadas.

Dê a seu filho um tempo para brincar sozinho, “viver em seu mundinho”. Aguarde o tempo dele, que, na hora certa, e com os estímulos certos, a aprendizagem ocorrerá.

Continua após o anúncio.

Adriana B. M. Paz
Professora e Neuropsicopedagoga

Escrito por

2 Comentários

2 Comments

  1. Jacira Amorim

    22/03/2021 at 22:29

    Importante saber que cada criança tem seu ritmo e que com o estimulo certo tudo pode fazer a diferença!
    gostei da sua publicação!

    • Gisele Carmona

      25/03/2021 at 16:57

      Muito obrigada pela visita! Nos acompanhe, pois toda semana teremos textos novos disponíveis!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio
Anúncio

Você vai gostar

Fale comigo!

Um menino com seu chapéu não quer guerra com ninguém

Fale comigo!

Paciência e evolução: as duas palavras precisam se respeitar para existir.

Fale comigo!

Você também se sente assim? Ver ler esse texto e veja se concorda comigo!

Anúncio